Prévias das divisões: Big 12

15 08 2009

Continuando as prévias com a Big 12: 

North Division:

 

 Colorado Buffaloes 

 Pontos Fortes: Tem um dos melhores grupos de Running Backs de toda a NCAA, com Demetrius Sumler, Rodney Stewart e Darrell Scott, este último amplamente considerado o melhor RB da classe de 2007. Tem um dos melhores TE da conferencia, Riar Greer, quase todo sua OL volta para mais um ano, apenas o Center Daniel Sanders saiu e tem um dos mais talentosos grupos de LB da Big 12, com Jeff Smart a comandá-los. 

Pontos Fracos: Na DL o time terá sérios problemas, três titulares não voltam para a temporada, sendo que dois prováveis substitutos são calouros. Seu melhor jogador que retornaria para o time, WR Josh Smith, pediu transferência, agora o time está carente de um Playmaker. Não ter um QB definido como titular absoluto é outro grande problema. Além disso, os chutes não são muito confiáveis, erraram 8 Field Goals seguidos em 2008. 

O que esperar: Nada de mais. Nos últimos três anos o ataque do time esteve entre os três piores da conferência, devido ao seu jogo aéreo ser uma vergonha. Seus três primeiros jogos são fáceis mas quando os jogos intra-conferência começarem as coisas ficarão mais difíceis, um recorde de 50%(6-6) é o mais esperado para o time.

 

                                    Iowa State Cyclones 

Pontos Fortes: Difícil nomear um. Talvez seja o retorno de 9 titulares de ataque, mas o grupo de RB é razoavelmente bom e o de WR mostra futuro. Terão um novo coordenador ofensivo, Tom Herman que deve mudar o ataque para uma Spread-Offense, é a chance do QB Austen Arnaud mostrar seu talento.

 Pontos Fracos: São vários, o principal é que têm uma defesa bastante jovem que sofre quando tem que marcar individualmente. Problemas que só devem aumentar já que sua DL foi refeita e continua tendo problemas para pressionar o QB.

 O que esperar: O pior. Apesar da chegada do novo HC Paul Rhoads, que era DC de Auburn, o time foi o pior da conferência inteira ano passado, coisa que deve se repetir esse ano. Se o time conseguir ganhar mais que três jogo já será um feito.

 

                                   Kansas Jayhawks

 Pontos Fortes: O QB Todd Reesing, que adora correr, tem à disposição mais talentos agora em seu último ano do que em qualquer outro. Os seus dois melhores WR, Dezmon Briscoe e Kerry Meier voltam para mais um ano, assim como o RB Jake Sharp que marcou 12 TD ano passado. Na parte defensiva, seus 4 DB’s titulares voltam para mais um ano.

 Pontos Fracos: Todos os LB titulares se foram, a Defensive Line é muito jovem, inexperiente e fraca contra o jogo corrido. E o pior de tudo é que Reesing é um injury prone, e fica difícil prever se joga a temporada inteira.

 O que esperar: Se Todd for bem e não se lesionar e a defesa se mostrar consistente, o time é o favorito para ganhar a divisão norte e ir para a final da Big 12. Alguns consideram candidato ao título nacional, e eles têm uma grande chance de provar que são bons no dia 24 de Outubro, quando viajam a Oklahoma enfrentar os Sooners. Terminam com pelo menos 9 vitórias se tudo der certo.

 

                                    Kansas State Wildcats

 Pontos Fortes: O grande treinador Bill Snyder está de volta, ele que construiu o programa do nada algum tempo atrás. O Front 7, grupo da DL e LB, melhorou muito e pode dar trabalho aos potentes ataques da Big 12. E o WR Brandon Banks é a grande arma do ataque, ano passado chegou a 1000 jardas recebidas.

 Pontos Fracos: Substituir o QB Josh Freeman que se mandou para a NFL é o grande desafio do time, não se pode esperar muito de nenhum provável substituto. Para piorar o grupo de RB deixa a desejar, são todos novos e baixos, o que dificulta as coisas. E ainda não têm uma grande defesa para sustentar o ataque.

O que esperar: Apesar da volta do ídolo Snyder, não se pode esperar muito do time nesse primeiro ano, o time teve grandes perdas e as reposições são bem inferiores. O time deve terminar 6-6 ou menos.

 

                                    Missouri Tigers

Pontos Fortes: O LB Sean Weatherspoon é um dos favoritos para ganhar o prêmio de melhor LB da liga. Seu grupo de RB é bom, com Derrick Washington sendo aparado por De’Vion Moore. A saída do QB Chase Daniel deveria ser fortemente sentida, mas Blaine Gabbert é tido como o substituto ideal, pois é talentoso, tendo um forte braço e sabe correr muito bem.

Pontos Fracos: O tempo de transição de um QB de High-School para um de College é a grande duvida sobre Gabbert, se esse tempo for um pouco maior que o esperado poderá custar algumas vitórias importantes ao time. O WR Jeremy Maclin e o TE Chase Coffman estão na NFL agora e faz com que o time saia dos 25 favoritos para ganhar o título nacional. Mas o pior problema é ter que reconstruir a defesa, já que sete titulares se debandaram.

 O que esperar: Uma considerável queda dos atuais campeões da North Divison. Blaine se mostrou bem no spring camp o que melhora as espectativas, mas nada de muito animador. O time não deve conseguir acompanhar o ritmo de Kansas e Nebraska, terminando a temporada num modesto 7-5.

 

                                    Nebraska Cornhuskers

Pontos Fortes: O All-American DT Ndamukong Suh está de volta e vai comandar a excelente defesa do time, que teve entre as três lideres de todas as estatísticas da conferência, ano passadas. E Alex Henery é o melhor kicker da hisória da universidade.

 Pontos Fracos: Vai ser tenso para os torcedores quando o jovem QB Zac Lee entrar em campo, isso porque ele só arremessou dois passes em sua carreira no College, mas é o QB menos inexperiente à disposição do time. Além disso os titulares nas posições de WR e LB serão todos trocados, pois os titulares, todos, formaram.

 O que esperar: Que sejam os grandes concorrentes de Kansas pela briga da North Division. A defesa parece mais forte que ano passado e deve suportar uma eventual queda de rendimento do ataque. O grande desafio será no dia 14 de novembro, quando terão que viajar para Kansas enfrentar o principal concorrente, o jogo será tido como a final da divisão, dependendo do resultado terminam 8-4 ou 9-3 se prevalecer a lógica.

 

 

South Division:

 

                                    Baylor Bears

Pontos Fortes: O QB Robert Griffin se mostrou muito versátil em seu primeiro ano, o que o fez ser eleito para o Freshman All-American. Seu braço forte e suas pernas rápidas o fazem perfeito para o esquema Spread-Offense do time. Além disso os Defensive Backs só têm a melhorar nesse ano.

Pontos Fracos: A Offensive Line será toda refeita, e substituir o first-round no Draft da NFL, T Jason Smith, será muito difícil e uma queda de rendimento já é esperada. Além disso a DL enfrenta problemas para produzir sacks e terão dois novos Defensive Tackle.

 O que esperar: Facilmente, este pode ser apontado como o melhor time da universidade em 15 anos, quando foi a ultima vez que o time jogou um Bowl. Ano passado perderam três jogos por menos de 7 pontos, então uma melhora em seu record de 4-8 ano passado é esperado. Terminam o ano em 6-6 ou até mesmo 7-5.

 

                                    Oklahoma Sooners

Pontos Fortes: O QB Sam Bradford, vencedor do Troféu Heisman ano passado, está de volta e com ele o TE Jermaine Gresham e os RB talentosíssimos DeMarco Murray e Chris Brown. Todos os titulares do F7 estão de voltam e cinco deles, English, McCoy, Beal, Reynolds e Lewis, são fortes candidatos ao All-American.

 Pontos Fracos: A Offensive Line é o grande problema do time, já que ela será praticamente refeita. Quatro dos cinco titulares saíram do time e a reposição será feita com jovens jogadores. Outro problema está na defesa, a secundária tem problemas em parar jogadas longas e precisar ser mais consistente.

 O que esperar: Que sejam, ao lado de Texas, os grandes favoritos para ganharem a divisão e chegar no BCS Championship, a final nacional. Ao contrário do ano passado, tem o calendário um pouco mais difícil que o de Texas, tendo dois jogos cruciais contra Oklahoma State e .seu principal concorrente. Terminam entre 10-2 e 12-0.

 

                                 Oklahoma State Cowboys

 Pontos Fortes: Um dos times mais bem equilibrados ofensivamente, somando as duas ultimas temporadas, ganhou mais de 3mil jardas, tanto aéreas quanto terrestres. O QB Zac Robinson, o RB Kendall Hunter e o WR Dez Bryant são fortes candidatos ao Troféu Heisman. Defensivamente, o grupo de LB é o responsável pela maior qualidade do time.

 Pontos Fracos: A secundária que já era muito boa, volta um pouco pior esse ano, já que apenas Perrish Cox permaneceu no time. A DL foi a pior em números de sacks da Big 12 ano passado, o que representa um grande risco ao time numa conferência de fortíssimos ataques. Além disso, Dez Bryant precisa de um companheiro para receber urgente, já que o TE Brandon Pettigrew está na NFL agora, caso Dez seja anulado por uma secundaria, o time ficará em apuros.

 O que esperar: Que pelo menos ameace os Sooners e os Longhorns na briga pela Big 12. O time enfrenta OU fora de casa, mas pega Texas em seus domínios, o que pode fazer o time terminar 11-1 no ano, mas o mais provável é 9-3 ou 10-2.

 

                                    Texas Longhorns

Pontos Fortes: O vice-campeão do Heisman ano passado, Colt McCoy, está de volta para comandar o time de Austin e com ele mais 15 titulares, sendo 8 no ataque e 7 na defesa. Se o time ano passado quase chegou à final nacional, esse ano está mais forte do que nunca. Com Jordan Shipley voltando para fazer dupla com McCoy e a OL, a melhor disparada da conferência com apenas uma perda, dando todo o tempo do mundo à Colt, o ataque aéreo do time é quase imbatível. Além disso, Sergio Kindle foi movido para DE e é a esperança de fazer com que a DL seja líder em sacks denovo.

Pontos Fracos: Brian Orakpo foi para a NFL e mesmo que a reposição seja boa, será sentida sua saída. O QB do time é o líder em jardas terrestres e algum RB precisa se destacar esse ano. Por fim, o TE #1, Greg Smith, é usado praticamente só para bloqueio, se for usado um pouco mais para receber será um importante fator surpresa para o time.

O que esperar: O time terá dois importantíssimos jogos, que precisará ganhar, para provar que deveria ter ido à final ano passado. Dia 17 de outubro enfrenta Oklahoma Sooners em campo neutro, em Dallas, no Cowboys Stadium, duas semanas depois, dia 31, viaja à Oklahoma para enfrentar OSU. Se ganhar os dois vai à final nacional certamente, mas se perder os dois, da adeus ao titulo. Para deixar os torcedores mais confiantes, este ano o calendário é muito mais fácil que ano passado, os non-conference games, que são jogos contra times de fora da conferência são bem fáceis e não deve trazer desgaste ao time para a sequência do campeonato. Por último, o time fecha a Regular Season contra seu arqui-rival, Texas A&M dia 26/11, e caso cheguem 11-0 nesse jogo, será uma motivação extra aos Aggies acabar com as esperanças de seus rivais. Acredito que o time vence todos este ano, terminando 12-0.

 

                                    Texas A&M Aggies

Pontos Fortes: O QB Jerrod Johnson melhorou muito na última temporada, batendo o recorde da universidade com 21 TD, se seu desempenho continuar a crescer, o ataque do time estará em boas mãos, já que ele conta com um bom grupo de RB e WR.

 Pontos Fracos: É fácil definir o que tem feito a tradicional universidade cair vertiginosamente. Ninguém, e não encare como uma hipérbole, está bloqueando ou “tackleando”.  A OL sofreu 39 sacks, 23 sacks a mais que a defesa levou, o jogo corrido não tem conseguido trabalhar e alguns dizem que o QB está correndo risco de vida por tanta pancada que ele leva. Para piorar, a defesa foi a pior em quase todas as estatísticas, considerando todas as universidades do país.

 O que esperar: O único objetivo do time é atrapalhar as esperanças de título de Texas, coisa que fazia com maestria e ultimamente não consegue impor respeito nenhum. Se Oklahoma depender da ajuda dos Aggies na última rodada, não conseguirão nada. O time deve terminar 4-8, mas só porque os non-conference games são contra times ridículos.

 

                                    Texas Tech Red Raiders

Pontos Fortes: Apesar de grandes perdas, o ataque continua forte com o novo QB Taylor Potts, que tem um braço bem forte. O grupo de WR é bem consistente e os Ofensives Tackles são dignos de elogios. Já a defesa enfrenta problemas e o grupo de LB é o que se destaca.

Pontos Fracos: A perda do QB Harrell e do WR Michael Crabtree é muito forte, e apesar de boas reposições uma eventual queda de rendimento já é esperado. Na defesa também ocorreram perdas importantes, inclusive dos dois safities titulares. O pass-rush do time também precisa melhorar significativamente.

 O que esperar: O time está numa temporada de transição, após a perda dos dois principais jogadores, com isso o algoz dos Longhorns ano passado, (ganharam do time no último segundo) deve ser mero figurante, terminando em 7-5.

                                  

                                   Big 12 – Previsão Geral da Conferência.

 

O ANO DA REVANCHE.

 

Mais uma vez os times da Divisão Norte parecem não ser páreos para os principais times da Divisão Sul, com isso o título deve mesmo ficar entre Texas, Oklahoma e quem sabe até mesmo Oklahoma State. Essa disparidade só serve para acirrar a rivalidade entre Longhorns e Sooners. Para deixar o jogo do dia 17 de outubro em Dallas mais importante ainda, ano passado aconteceu uma das maiores confusões da NCAA. Tivemos um empate triplo, entre Texas, Oklahoma e Texas Tech, o primeiro critério de desempate era o confronto direto, mas eis que surge o problema, Texas ganharam de Oklahoma que ganharam de Texas Tech que ganhou de Texas. O segundo critério era o ranking da BCS e por uma diferença menor que 0.02, numa pontuação que vai ate 1.0, os finalistas foram Oklahoma, mas Texas venceram-nos por uma diferença de 10 pontos e todos consideravam que eles deveriam ser os finalistas. Ou seja, Oklahoma quer se vingar da derrota na Regular Season, mas Texas quer provar que quem deveria ter ido para a final nacional era o time de Austin.

Mas não podemos focar apenas nesse jogo, precisamos lembrar que Oklahoma State recebe Texas em casa e podem aprontar uma surpresa e partir para cima dos Sooners um mês depois.

 

Sobe e Desce

 Sobe:

      À rivalidade entre Sooners e Longhorns,que faz com que a liga seja a mais visada por todos este ano.

      Ao time de Oklahoma State, que não era ruim, mas que conseguiu melhorar mais, à ponto de ameaçar OU e Texas.

      À Kansas Jayhawks que melhorou ao longo da temporada passada e já são considerados favoritos para esse ano na divisão norte.

 Desce:

      Ao programa de Texas A&M que só vem afundando ainda mais a tradicional   universidade.

      Ao time de Missouri que era lembrado ano passado como possível campeão da Big 12, mas que só vem decepcionando. Apesar de ganhar a North Division, não impôs dificuldades à Oklahoma na final e este ano não deve fazer nada de mais.

      À Iowa State que é muito pior que muitos times da High-School e da Division II da NCAA.

Anúncios

Ações

Information

One response

19 08 2009
Shev

Esse blog é ótimo.
Acompanho desde antes do Draft da NFL, inclusive enquanto esteve “hibernando”.
É uma boa fonte de informação p/ quem está começando a acompanha NCAA ou p/ quem já é veterano.

Parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: