Por trás da NCAA – E os playoffs?

12 05 2009

Qual é o melhor sistema para determinar o campeão da NCAA? Nos anos recentes, o sistema usado no BCS provou ser problemático em determinar o campeão do college football.

Ano passado, por exemplo, tivemos um caso que colocou em xeque esse sistema. Na conferencia Big 12, uma das maiores da liga, tivemos um empate triplo, entre Texas, Oklahoma e Texas Tech, o primeiro critério de desempate era o confronto direto, mas eis que surge o problema, Texas ganhou de Oklahoma que ganhou de Texas Tech que ganhou de Texas. O segundo critério era o ranking da BCS e por uma diferença menor que 0.02, numa pontuação que vai ate 1.0, o finalista foi Oklahoma, que ganhou o tiulo da Big 12 e foi para a final da NCAA. Mas Texas venceu o finalista por uma diferença de 10 pontos e todos consideravam que eles deveriam ser os finalistas, mas não foi o que aconteceu. Além desse caso tivemos um time, Utah, que terminou a temporada invicto. Isso botou em duvida tem quem foi realmente o campeão, Florida que ganhou na

Tudo isto fez crescer os pedidos e a pressão para a implantação de um sistema de playoffs para decidir o detentor do titulo.

"Tudo isto fez crescer os pedidos e a pressão para a implantação de um sistema de playoffs para decidir o detentor do titulo."

Final da BCS, ou Texas, que tinha o melhor time, ou Utah que não perdeu para ninguém? Tudo isto fez crescer os pedidos e a pressão para a implantação de um sistema de playoffs para decidir o detentor do titulo.

O sistema atual, do bowls games e dos rankings, tem uma grande tradição antiga na NCAA, resultando com jogos inesquecíveis, como o Rose Bowl com a final de 2006, com Vince Young correndo para mais de 200 jardas e cada time somando mais de 550 jardas de ataque. Ou aquele Orange Bowl de 1984, onde Nebraska que era considerado o melhor time da historia perdeu por 1 ponto para o time de Miami que começara o campeonato fora do Top 25. Todos os bowls tem sua historia e seus jogos memoráveis, e é esse o arguemento mais utilizado pelos defensores do atual sistema. Mas existe um outro lado, mais “oculto” que ninguém alega ser o motivo, mas que pode ser um grande fator nesta história.

O BCS lucra cerca de 96 milhões de dólares, em média, por ano. E é este o verdadeiro motivo, ou o mais forte, pelo qual a NCAA ainda opte pelo atual sistema, porque, sinceramente, financeiramente falando, se estes bowls não dessem lucro duvido que os chefões da liga pensariam em tradição e história.

recentemente o cordenador do BCS, John Swofford, rejeitou uma mudança para o formato de playoffs

"recentemente o cordenador do BCS, John Swofford, rejeitou uma mudança para o formato de playoffs"

Recentemente o coordenador do BCS, John Swofford, rejeitou uma mudança para o sistema de playoffs, alegando justamente que essa mudança iria ameaçar a existência dos tradicionais bowls. “Patrocínios e cotas de TV que vão para os Bowls seriam desviados para os jogos de playoffs, o que significa que seria impossível para qualquer bowl, incluindo o BCS Championship e os outros, sobreviver.” afirmou Swofford.

Além disso o recente contrato assinado entre o BCS e a ESPN vem sendo usado como empecilho para uma eventual mudança. Este acordo, que valhe cerca de 125 milhoes de dólares por ano, garante o direito de transmissão à ESPN dos principais bowls a partir da temporada de 2011 e impede qualquer mudança no sistema até 2014. Mas a ESPN já alegou que não faria qualquer obstáculo caso a NCAA queira mudar o sistema.

Outro fator contra o sistema atual do BCS é que nem todos os times têm uma oportunidade real de disputarem o título. Para entender o porque antes precisamos entender o complicado sistema. Primeiro seleciona os Top 25 times das listas Harris Interactive Poll e USA Today Coaches Pool. Nessa lista cada time tem uma pontuação que pode chegar até 2850 na da Harris e 1575 na USA Today e suas pontuações determinam o 1º ao 25º time. Depois 6 computadores fazem suas próprias listas, dando notas para 6 quesitos desses times, como dificuldade do calendário, record contra times top10, times top15, entre outros, onde 25 é para o 1º e 1 para o 25º. A melhor e a pior nota são descartadas, e as outras 4 são somadas e divididas por 100(o máximo de pontos possíveis), produzindo o Computer Ranking Average. Por fim, pega-se a porcentagem de pontos do time na Harris e na USA Today Poll, somasse com a media do computador e produz uma outra media, a BCS Average, que é a lista final para determinar a posição de cada time. (Ufa! Não entendeu nada? Não se preocupe, ninguém entende.)

Por causa dessa estranha forma de classificação, os times que não são afiliados das 6 maiores conferencias (ACC, Big 12, Big East, Big Ten, SEC e Pac-10) acabam não estando no centro das atenções, e por isso ficam de fora da Harris e USA Today Poll, assim não tem chance de sonhar em jogar o BCS National Championship Game, ou seja, a final. Como se isso já não bastasse, esses times não tem a chance nem de jogar os 4 principais bowls, que são o Rose Bowl, Fiesta Bowl, Orange Bowl e o Sugar Bowl. Eis os critérios para jogar os outros 4 principais bowls:

Rose Bowl: Big Ten Champion x Pac-10 Champion
Tostitos Fiesta Bowl:
Big 12 Champion x ???
FedEx Orange Bowl:
ACC Champion x ???
Allstate Sugar Bowl:
SEC Champion x ???

O campeão da Big East ocupa uma das três vagas restantes. Caso o vencedor de uma das conferências vá para a final, o vice-campeão da conferencia ocupa a vaga. As outras vagas são preenchidas pelos melhores times disponíveis para jogar na classificação final do BCS.

Por tudo isso, é cada vez maior a pressão para a implementação dos Playoffs, onde os times de melhores records disputariam a fase final, mais ou menos nos moldes do campeonato de basquete da NCAA.

O que você prefere? O sistema atual é muito injusto? Comente !


Anúncios

Ações

Information

2 responses

14 05 2009
Nick

Belíssimo texto, acho que esse sistema BCS é muito mal feito e deveria ser mudado para o sistema de playoffs que realmente mostra os melhores times.

16 05 2009
Rodrigo

Esse sistem é horroroso!! Eu costumo acompanhar o basquete de NCAA tb e acho o March Madness sensacional, imaginem se tivessemos no December Madness com as 32(ou 64) melhores equipes do college football?? Seria muito divertido e tenho certeza que teríamos grandes públicos pela TV, além da possibilidade de vermos jogos como Texas e Oklahoma na final, que pra mim foram as 2 melhores equipes de 2008, e que no atual formato seria praticamente impossível de acontecer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: